«

»

Mai 24

Imprimir Artigo

Prânica – Prevenção e Diagnóstico – Pranaterapia

maos_cura_quantica_1400Cura Prânica: “A Manipulação do Sopro da Vida”

A Cura Prânica visa reequilibrar a energia vital e os chakras, canalizando o Prana, actuando no corpo bioplasmático, com consequências fisiológicas ou seja promovendo a cura.

 

O corpo físico do homem se compõe de duas partes: o corpo físico visível e palpável e o corpo bioplasmático, formado por uma energia subtil e invisível. Esses corpos se interpenetram e interagem num vínculo de troca de energia.
Nos alimentamos de energia vital – também conhecida por força vital, Prana, ki, pneuma, mana, ruah – deste manancial que é o Universo nas suas manifestações naturais: ar, terra e água. Possuímos centros de captação e irradiação energéticos: os Chakras. Estes se não estão em equilíbrio não captam e desperdiçam a energia vital – Prana – necessária à nossa saúde física, mental, emocional e espiritual. Com o conhecimento do processo energético, o facilitador de Cura Prânica localiza onde há o desequilíbrio e remove o Prana deletério recolocando logo a seguir um outro puro e saudável, captado do ar, equilibrando o corpo energético e como consequência o físico, o mental e o emocional. É um trabalho feito com conhecimento que não encontra lugar para mistificação pela sua lógica e simplicidade. Os resultados podem ser comprovados instantaneamente ou aos poucos, dependendo do comprometimento físico e energético do paciente.


Pessoas que se encontram fracas e sem energia tendem a absorver energia Prânica daquelas que a tem em equilíbrio, por isso nos sentimos cansados e exauridos sem razão aparente quando entramos em contacto com elas, pois sem sentirem (ou sentindo) agem como verdadeiros “vampiros energéticos”. A consequência disto é de sentirmos os sintomas doentios que as pessoas portavam ao nos contactar. É necessário termos o conhecimento de técnicas de auto – ajuda e recorrermos a profissionais que trabalhem com o equilíbrio energético, como o Curador Prânico.
Muitas vezes , também, pessoas irradiadoras de bom Prana, nos fazem sentir bem e são focos centrais de grupos de indivíduos que se beneficiam de sua força energética. Essas pessoas devem fazer visitas a doentes de todas as formas. Sendo de grande valia o aprendizado de como manipular esse manancial energético em prol das pessoas como de si próprias.


A preocupação com a ingestão de alimentos frescos e naturais corresponde ao conhecimento de que quanto mais o que ingerirmos estiver ligado à Natureza, mais energia vital estará circulando e servirá de fonte extra para nosso organismo. Os alimentos industrializados – que levam um grande período entre sua extracção e sua ingestão, que passam por processos químicos de conservação e/ou altas temperaturas – são nulos energicamente e muitas vezes no valor alimentício, servindo somente para dar a sensação de fartura física.
Os animais quando morrem perdem rapidamente sua energia vital não trazendo muito valor em termos energéticos para quem se alimenta deles. Os vegetais reservam durante algum tempo a mais essa energia, transmitindo a quem o ingere um suporte Prânico aumentando a circulação no seu corpo bioplasmático que recupera possíveis perdas causadoras de doenças.


O ser humano visto como um ser único e total – como é encarado holisticamente – tem suas funções físicas, mentais, emocionais, espirituais e energéticas interligadas, influenciando umas as outras. Como consequência, as doenças são , normalmente, resultado do desequilíbrio desses factores. Equilibrando – se essas funções evitamos o processo doentio por factores externos ou internos. Como exemplo temos a úlcera gástrica que na maioria dos casos é causada por factores emocionais como: estresse, medo, pressão da sociedade sem uma válvula de escape, ingestão de “sapos”, distanciamento de uma vida mais natural, etc., que enfraquecem o Chakra do plexo solar – localizado na “boca do estômago” – o que propicia a invasão de bactérias que atacam as paredes do órgão causando feridas. Neste caso todos os corpos do doente estão comprometidos, necessitando de um trabalho de conscientização para que se reverta o quadro. O tratamento com medicamentos – melhor se naturais -, o afastamento da causa externa do estresse, a mudança de postura mental diante dos problemas, o desabafo, a alimentação mais fresca, natural e balanceada, o trabalho de equilíbrio energético que a Cura Prânica fornece e a manutenção da saúde adquirida é sinónimo de permanente cura.
Com a averiguação da aura o Curador Prânico tem a possibilidade de identificar a doença que primeiro se coloca no campo áurico para depois se apresentar no corpo físico.


O Curador Prânico – também conhecido como Canalizador Prânico – se utiliza de técnicas de reconhecimento da energia vital do paciente, limpeza do campo áurico e dos Chakras, de absorção e canalização de Prana emitindo-o por intermédio de seus Chakras das mãos e dos dedos ao receptor. Utiliza o Prana branco, o colorido de uso diferenciado para cada caso, cristais, visualização, direccionamento, etc., o que o coloca apto a agir em qualquer situação apresentada, das doenças mais simples as mais complicadas.
O Curador Prânico – também conhecido como Canalizador Prânico – se utiliza de técnicas de reconhecimento da energia vital do paciente, limpeza do campo áurico e dos Chakras, de absorção e canalização de Prana emitindo-o por intermédio de seus Chakras das mãos e dos dedos ao receptor. Utiliza o Prana branco, o colorido de uso diferenciado para cada caso, cristais, visualização, direccionamento, etc., o que o coloca apto a agir em qualquer situação apresentada, das doenças mais simples as mais complicadas.

CONTACTOS: 

centro.terapeutico.srafael@gmail.com

www.arcanjo.com.pt

Rua Conde Alto Mearim, 748 – 1º – sala3
4450-029 Matosinhos

Geral: 933268624 / 915503943

Link permanente para este artigo: http://arcanjo.com.pt/terapias/pranica-prevencao-e-diagnostico-pranaterapia/

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>